terça-feira, 28 de abril de 2009

Mensagem numa garrafa

Eu sempre quis escrever uma carta, colocar dentro de uma garrafa e jogá-la em alto-mar. Será que alguém acharia essa garrafa e me escreveria de volta? Ela seria achada quanto tempo depois: dias, anos, décadas, séculos... Ou nunca? Em qual país?

Nunca fiz isso! Não sei o que eu poderia escrever na carta e nem qual o melhor tipo de garrafa para se fazer isso: a tradicional de vidro ou a de plástico? E como poucas vezes fui a alto-mar, andei pensando em jogar a garrafa num rio, levando em consideração que ele vai desembocar no mar.

Na internet, existe um site que faz isso, porém, com e-mails. No Email Roulette, você escreve a mensagem que quiser e o site manda para alguém de forma aleatória. Claro, existem algumas diferenças em relação ao modo tradicional. Neste, qualquer ser humano correr o risco de achar a garrafa, já no site somente usuários cadastrados podem receber a mensagem. Mas não deixa de ser interessante!


A maioria das pessoas que fazem parte da brincadeira fala inglês. Por isso, é normal escrevermos em português e depois receber uma resposta como esta: “Não entendi o que você disse, sorry!”.

Para brincar, basta se cadastrar dando seu e-mail e um nome de usuário. Você receberá uma senha no seu e-mail com a qual poderá mandar mensagens. Ao enviar a mensagem, ela será destinada aleatoriamente a outro usuário inscrito. Ele tem a opção de responder ou não. E você não sabe para quem mandou a mensagem ao menos que a pessoa escreva de volta. Você também receberá uma mensagem quando menos esperar!


É hora de deixar que o acaso lhe apresente pessoas novas. E correr o risco de conhecer alguém que poderá ser o seu pior inimigo ou o seu maior amor. Ou, simplesmente, ninguém!

Eduardo Franciskolwisk

terça-feira, 21 de abril de 2009

V de Vingança?


Adoro quando uma pessoa pisa em mim. Realmente, acho muito bom quando alguém puxa meu tapete ou faz com que me sinta inferior, um lixo. É lógico que no exato momento em que sou a vítima, isso é horrível. Nada bom. Só que a longo prazo, isso se torna bastante vantajoso para o meu estilo de pensamento. Se hoje eu sou humilhado, amanhã quem me humilhou também vai ser!

Não é vingança. É o “efeito bumerangue”: tudo o que você joga para o mundo, volta para você.

Existem pessoas que não têm nada de bom dentro de si, então, elas tentam ferrar a sua vida. E elas conseguem... Somente com as palavras, elas acabam com você (bem, pelo menos comigo é assim). Chamo isso de tortura psicológica. Quando alguém diz todos os dias que você não é bom o bastante, você acaba se convencendo disso. Mas elas não sabem que tudo isso se voltará contra elas.

Tenha sempre a certeza de que quem fez o mal para você, vai receber o troco da própria vida. É só deixar o mundo girar! Talvez, eu tenha aprendido esse modo de pensar e agir com o meu super-herói favorito, o Batman.

Em “Batman Begins”, o Homem-morcego luta contra seu inimigo num trem em alta velocidade . Pouco antes do trem bater e explodir, Batman diz para seu inimigo:

“Eu não vou matar você, mas não tenho que salvá-lo!”

Em outras palavras, podemos dizer:
“Não vou ser mau com você, mas também não vou ser bom.”
“Não vou ter atrapalhar, mas também não vou te ajudar!”

Eu não fico com ódio das pessoas que me fizeram mal, apenas não tenho carinho por elas. Eu fico neutro! Nem pra lá, nem pra cá; nem quente, nem frio.

Não é vingança! É apenas o efeito bumerangue. É apenas o mundo dando suas voltas. Sem nenhuma interferência. Principalmente, sem a minha!

Eduardo Franciskolwisk

Série: Confissões de um Lunático


Eu confesso que não sei qual é o lugar correto das letras "y" e "w" no alfabeto.

Eduardo Franciskolwisk

domingo, 19 de abril de 2009

Série: Confissões de um Lunático



Eu confesso que não sei a tabuada do 6, do 7 e do 8!

Eduardo Franciskolwisk

terça-feira, 14 de abril de 2009

Seus pobremas se acabaram-se!

Dá só uma olhada na propaganda que apareceu na caixa de correio aqui de casa.

A propaganda é a alma do negócio, mas se ela já tem 3 almas para ajudar, para que ela precisa de mais uma? Eu protesto! É propaganda enganosa!!! Leiam (se nao der pra ler daqui, clica na foto)!

Para tudo ela tem solução, menos para o analfabetismo! Propaganda enganosa!

"Consulta grátis levando um maço de vela." Então, a consulta não é grátis, ela custa um maço de velas. Propaganda enganosa!

E eu tenho uma leve impressão de que isso é propaganda de macumba! Alguma galinha vai acabar se dando mal e não vai ser no fogão. Chuta que é macumba!

Eduardo Franciskolwisk

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Tic tic nervoso

Todo mundo tem um tique que vem à tona quando estamos nervosos ou ansiosos. Mesmo que ele esteja bem escondidinho dos outros e que só nós saibamos dele.

Existem vários tipos de tiques: roer unha, morder a bochecha, piscar os olhos duas vezes seguidas, puxar e enrolar o cabelo, diversas contrações involuntárias de uma das pálpebras, piscar os olhos muito rápido e com força, etc.

O meu “tic tic nervoso” é a contração da pálpebra de um dos olhos várias vezes seguidas. Acontece, às vezes, quando eu estou estressado, muito cansado ou ansioso. E eu tento evitar que as pessoas vejam, mas por ser no rosto, acho que não tenho muito êxito. Morro de vergonha! Mas ainda tenho a esperança que de ninguém tenha notado...

O que eu acho mais esquisito é o tique em que pessoa pisca os olhos duas vezes seguidas. Aquilo me dá coisas... como por exemplo, vontade de bater na pessoa. Felizmente, fiquei só na vontade e pretendo continuar assim.

Não importa qual é o seu tique e nem se as pessoas ficam com vontade de te espancar. Você tem que ficar atento a esse sinal do seu corpo e pegar mais leve com você mesmo. O tique é um aviso de que talvez não valha a pena ficar tão estressado, ansioso, nervoso e cansado.

Quando ele começar, é hora de relaxar mais. E se for preciso, mandar quem te estressa para a puta que pariu.

Eduardo Franciskolwisk

P.S.: Saibam mais sobre o assunto

O que é tique nervoso?
O tique é qualquer gesto compulsivo e repetitivo, seja ele uma contração muscular (tique motor) ou uma vocalização (tique fônico). Quando uma pessoa tem vários cacoetes (o mesmo que tiques) diários significa que ela tem a Síndrome de Tourette, que é um distúrbio neurológico descrito pela primeira vez em 1885 por um médico francês chamado Gilles de la Tourette.

Por que o tique acontece?
Alguns cientistas acham que o tique é causado por uma falha em um dos circuitos cerebrais e que teria origem hereditária. Outros acham que os tiquem começam por causa do estresse, ansiedade ou emoções muito fortes. Eu acho que a resposta verdadeira está ma mistura das duas opiniões dos cientistas.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

O maior dos meus erros

“Il mio sbaglio più grande, ma che rifarei”

Estou de Férias! Férias forçadas. Eu me forcei!

Talvez, eu tenha feito cagada. Mas, e daí? Sempre tentei fazer tudo certinho e impecavelmente perfeito, tenho o direito legal de fazer cagadas. E essa foi só a primeira de muitas que me forçarei a fazer.

Sinceramente, na maioria das vezes, acho que fiz a coisa certa. Tenho de pensar mais em mim e menos nos outros (porque estes não pensarão em mim nos momentos eu que mais precisar, isto é fato). Tenho de ter menos medo dos outros e mais coragem de ignorá-los. Mas isso para mim, é difícil. Não consigo ignorar até mesmo as pessoas mais ignorantes, embora, aos poucos eu tenha trabalhado isso e venho tendo êxito. A minha filosofia agora é: “Seja mau com os outros e bom com você.”. É assim que as pessoas pensam e agora eu também.

Pode ser que eu esteja dizendo besteira, mas aí vai: sempre achei que a chantagem emocional (ou a tortura psicológica) machuca mais do que a dor física. Sei que a minha emoção me faz melhor do que as outras pessoas, mas sei também que ela é o meu “tendão de Aquiles”. Isso consegue me derrubar.

Para toda ação, há uma reação. Não podemos ficar só vendo a ação nos machucar, é preciso reagir. O quanto antes, de preferência. É preciso que eu volte à minha filosofia: “Bateu, levou!”.

Estou aprendendo a pôr a língua para fora da bainha. Sim, ela é afiada, corta com facilidade e pode machucar para sempre algum coração. Em relação às palavras, sempre me controlei no que diria, pois sei que tenho uma arma branca muito perigosa.

Tenho de voltar a ser aquela pessoa que não tinha medo de nada, que falava tudo o que pensava e que pulava no precipício por um ideal próprio e que muitas vezes era completamente errado!

E eu estou no caminho certo, no entanto o dinheiro pode me colocar no caminho errado a qualquer hora. Ele será benvindo*. Eu adoro dinheiro. Igual às outras pessoas. A cada dia que passa eu gosto mais de dinheiro e menos de gente.

O mundo está me fazendo uma pessoa ruim. Eu tento lutar contra isso, mas sinto que perderei a batalha! Acho que não devo mais pensar nesse assunto, afinal de contas, eu estou de férias. Pode ser que essa minha cagada tenha sido o maior dos meus erros, mas eu refaria!

Eduardo Franciskolwisk

* É assim que escreve bem-vindo na nova regra do português?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...