terça-feira, 20 de abril de 2010

Eu peço: não me peçam nada!

nao me siga

Com todo o meu coração, eu peço: não me peçam nada!

A época em que eu fazia tudo o que me pediam ficou no passado. Não faço mais nada que me pedem. Agora, só faço o que quero e o que me interessa. Nada de perder tempo nos interesses dos outros. Até porque se fosse realmente de interesse deles, não pediriam para que fizessem e sim, fariam com suas próprias mãos.

A decisão que tomei tem um motivo bem simples. A vida inteira fiz o que as pessoas me pediram, dando o máximo de mim. Hoje, eu estou perdido, fudido e ferrado. Isso significa que eu estava no caminho errado. Este ano concluí que a solução para esse mal é não fazer o que me pedem.

Hoje, a minha mãe me pediu “Vai comprar pão pra mim?”. Eu estava comendo pão de forma quando ela perguntou isso. Aí, eu respondi “Não!”. Eu não tinha nenhum interesse em comprar pão, porque eu já estava comendo um. Então, para que eu perderia tempo com isso? Se ela realmente quisesse, ela que fosse à padaria.

E foi o que aconteceu. Mas antes, como sempre, ela me comparou ao meu pai dizendo “O seu pai também fazia isso, não gostava de ajudar os outros”. Foi uma bela tentativa de me fazer mudar de opinião e ir correndo comprar pão. Mas não funcionou. Não funciona mais.

Para mim, tanto faz se eu pareço com o meu pai ou com o prefeito de Bluffington. Isto não me importa mais, pois já me considero um caso perdido.

A vida inteira eu fui criticado de forma negativa. Eu acabei me acostumando com isso. Elogios não fazem bem ao meu ego. Durante a vida, quando fiz alguma coisa que achava que merecesse elogios e cobrei isso das pessoas, sempre recebi um “Você não fez mais do que a sua obrigação!”. E eu me acostumei com isso. Podem dizer que eu sou bonito, que escrevo bem ou que meus olhos azuis são fabulosos. Eu nunca vou acreditar nisso como elogio sincero. Sempre vou pensar que a pessoa está só sendo educada comigo (ou querendo alguma coisa).

Quando você sempre faz o que te pedem, você corre o risco de ser apedrejado nas poucas vezes em que se nega a fazer o favor. E pode escrever, depois que a pessoa se acostuma com você fazendo favores a ela, o que deveria ser um “Muito obrigado!” se torna o abominável “Você não fez mais do que a sua obrigação.”. As pessoas passam a te achar um bobo, um empregado e riem de você.

No emprego, quanto mais você quer fazer, mais cobram de você. E não cobram nada de quem faz pouca coisa. Cobram de você por ser uma pessoa responsável. E do irresponsável, não cobram nada, nem responsabilidade.

Seja irresponsável, vão aplaudir de pé o dia que você conseguir chegar no horário correto.

Não estude tanto. Se você passar em faculdade particular, vão fazer a maior festa. Se sua intenção for faculdade pública e não conseguir isso, vão te lembrar que você é um burro para o resto da sua vida.

O meu caso é como diz a música “...Já de saída a minha estrada entortou...”. Sempre fiz o que pediram e a minha vida não deu certo. Me dei mal. Por outro lado, deem uma olhada para aqueles que sempre fizeram o que quiseram e raramente ajudaram os outros: se deram bem!

Então, mudei a minha opinião. Não faço nada que eu não queira fazer. Sou chato! Já tinha fama de ser chato quando eu era legal, imagina agora que resolvi ser chato de verdade.

Não me peça nada que você pode fazer por você mesmo!

Quando não puder, talvez eu ajude. Mas não bote fé nisso porque estou virando uma pessoa insensível. E estou adorando isso!

Eduardo Franciskolwisk

3 comentários:

  1. - as pessoas precisam aprender a dizer não e ser chatas quando necessário. eu também aos poucos estou tomando as mesmas atitudes que você e só vejo benefícios nisso!

    ResponderExcluir
  2. Também tenho feito umas observações que nem essa sua de q as pessoas mais chatas e irresponsáveis no final acabam se dando bem...eu sempre faço de tudo para ser legal, simpática, bem-educada..mas eu tenho poucos amigos. Tenho três amigas pra vida toda, mas mesmo assim, elas estão distantes, e nos vemos poucas vezes..Estava hj mesmo vendo o face de uma garota barraqueira e puta de um colégio que eu estudava aos doze anos e treze anos..ela é cheia de fotos em todos os tipos de lugares, com um monte de amigas, amigas verdadeiras, algumas q eu reconheço como já falarem com ela daquela época, e todas mandando textos maravilhosos uma pra outra, e dava pra ver q nn era falsidade, era sincero. Aquela barraqueira tem mais amigas que eu. Ela xingava todo mundo, fazia o que bem queria, não ligava a mínima pra estudar...e todo muno, por algum motivo inexplicável, gostava dela. Ela era popular. Já eu era sempre meio excluída. Ainda sou. Ainda sou meio solitária. Depois de um tempo eu tinha começado a usar a política do "ser legal ao máximo" sempre, pensando que isso bastaria para fazer grandes amizades e etc, mas parece que é mais difícil quando vc se esforça demais para ser uma pessoa boa. Mas isso sobre não estudar tanto..eu discordo. Questões como estudar não tem a ver com as outras pessoas ou o que elas pensam disso. Tem haver com vc e seu futuro. E mais nada. Ser irresponsável por causa do jeito que os OUTROS pensam e tratam os irresponsável é uma burrice, me desculpe mas é vdd. É uma burrice e falta de autoestima. Eu sou estudiosa, desde o nono ano. E não faço isso por causa dos outros. É porque eu qro o meu futuro. E qro ser escritora. Mas nn vou mentir...qdo eu lançar meus livros, ainda espero q pelo menos UM dos meu colegas que me faziam sofrer bulling ou nn davam nada por mim vissem isso..seria uma espécie de vingança particular minha, um gostinho de vitória, um capricho meu de dar uma esfregadinha básica na cara dessas pessoas quem eu me tornei e o quão acima deles eu estaria agora. Como a Jessie J fez naquele clipe dela "Who's laughing now". Uma realização particular dela, pra todo mundo ver. Mas obviamente esse não é meu único motivo. É só uma pequenina parcela dos meus motivos para me dedicar. A única pessoa a poder ter as consequências boas ou as ruins da minha dedicação serei eu mesma. Os outros não.
    I. Brunato

    ResponderExcluir
  3. Cuidado com o que vc lê no facebook. Acho que muitas coisas lá são propaganda. Chega a dar inveja de como as pessoas são felizes e santas no facebook.

    Hoje eu dia, se eu tiver que dar um conselho para alguem é: Não estude muito e seja social, goste de pessoas! Enfim, o que eu quero dizer é estude, mas não tanto a ponto de largar seus amigos e ficar sem eles. É preciso se dedicar ao social. Eu não soube fazer isso.

    Quando vc for lançar o seu livro, me chame e deixe o seu colega que não gosta de vc pra lá! Aliás, quero ler blogs legais, se vc tiver um ativo, me mostra.

    E lamento te informar, escrever é uma coisa solitária, não dá dinheiro e quase ninguém lê. Por isso, se vc tiver uma voz boa, vire cantora!

    ResponderExcluir

Leitores, se forem comentar como anônimo por facilidade, peço que deixem pelo menos seus primeiros nomes como assinatura.

Mas se fizerem questão do anonimato, não tem problema!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...