quinta-feira, 23 de junho de 2011

Carta do filme Tempo de Crescer

Tempo de Crescer

“Richard considerava sua solidão algo sagrado. Como uma merecida condecoração. Uma capa usada para afastar a vida. Era a sua proteção. A solidão era quem ele era. Isso fazia com que todos ao seu redor o vissem com um desprezo mal disfarçado.Richard tinha certeza de que ninguém gostava dele. Isto é difícil para um homem. Talvez pelo fato de ele não dar nada, ele não recebesse nada em troca. Em todo o caso, sua situação se tornou intolerável. Seus amigos mais próximos ou eram imaginários ou extintos. E Richard chegou a um ponto de sua vida em que isso já não bastava.

Então... ele conheceu uma garota. E ela era quente. E estava triste. E, talvez, estivesse tão solitária que, de certa forma, ela o lembrava a ele mesmo. Ela havia perdido coisas que uma garota jamais deveria perder. Ela sabia coisas. E ela ensinou a ele. E Richard pensou: “Talvez seja isso o que se sente em uma amizade.”. Talvez. Foi só um vislumbre. Na realidade, eles mal haviam começado. Mas naqueles longos e poucos dias de inverno, ela havia dado muito de si. O bastante para que Richard pudesse prosseguir. E o que ele deu a ela? Só algumas palavras em um papel. Talvez não fosse muito. Mas para Abby, ele esperava que fosse o bastante.”

3 comentários:

  1. Fikei bem curiosa. Acho que vou baixar...hehehe

    Vou conferir os outros textos pra me atualizar!

    Passa lá, tem postagem nova.
    BeijO
    http://evesimplesassim.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Existe um livro muito interessante sobre a solidão parecido com essa história. Chama-se "Perto do Coração Selvagem", da Clarice Lispector. Vale a pena ler.

    ResponderExcluir

Leitores, se forem comentar como anônimo por facilidade, peço que deixem pelo menos seus primeiros nomes como assinatura.

Mas se fizerem questão do anonimato, não tem problema!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...