domingo, 24 de julho de 2011

A triste morte de Amy Winehouse

Sempre achei que as pessoas têm que ter limites. Algumas se acham no direito de não ter esses limites. Elas fazem tudo o que querem e:

“Quem faz o que quer, raramente faz o que deve.” (Provérbio português)

Amy Winehouse morreu ontem aos 27 anos. Eu não era nem um pouco fã dela. Mas quando o artista é muito talentoso, ele alcança um número muito grande de pessoas, incluindo os que não se interessam por ele.

Todos conhecem pelo menos uma música de Amy Winehouse. Podem até não saber que era ela que cantava tal música, mas já a ouviram alguma vez.

Eu tenho 2 músicas dela no meu computador. “Rehab” que deve ser sua música mais conhecida e uma outra que chama “Help Yourself” (ouça a música acima). Sempre gostei mais desta última. O refrão diz “Eu não posso ajudar você se você não se ajudar”. A letra da música encaixa bem na história da vida dela. E na minha opinião, é uma história triste.

Fiquei chocado quando soube de sua morte. Era esperado? Sim. Todo mundo sabia que isto ia acontecer, mais cedo ou mais tarde. Então, por que fiquei chocado? Porque ela tinha praticamente a minha idade. Podia ser eu ali. Ela não era feliz sendo ela mesma. Quantos de nós somos felizes sendo quem somos? Poucos. Mas então por que a maioria não é drogado, bêbado ou suicida? Porque a maioria pensa e sabe que o que faz afeta a si mesmo e aos outros.

Amy Winehouse já não tinha condições de pensar por ela mesma. Ela precisava de alguém para fazer isso por ela. Isso é que é triste em sua morte. Não tinha ninguém para ajudá-la e fazê-la perceber que ela tinha que ajudar a si mesma. Onde estavam os pais dela? Onde estavam os amigos? Onde estava a gravadora? Todos eles viam que ela ia se matar e todos deixaram. Com gente assim ao meu redor até eu me mataria.

Eles deveriam acorrentá-la em casa para não se drogar ou amarrá-la na cama, como muitas vezes vemos nos jornais. É isso que pais desesperados fazem com os filhos. Isso pode não parecer, mas é amor.

Ninguém quis ajudar Amy Winehouse, nem ela mesma. Isso é muito triste e pode acontecer com qualquer um. Todos nós podemos chegar ao fundo do poço.

Eduardo Franciskolwisk

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Leitores, se forem comentar como anônimo por facilidade, peço que deixem pelo menos seus primeiros nomes como assinatura.

Mas se fizerem questão do anonimato, não tem problema!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...