sábado, 10 de maio de 2014

Convite pela metade

Em um domingo à noite, minha irmã veio aqui para casa e teve uma ótima ideia.

— Vamos pedir uma pizza?

Eu perguntei se ela ia pagar. Ela disse:

— Claro que não! Cada um paga a sua parte.

Ora bolas, eu considerei como um convite – só para irritá-la, diga-se de passagem. Geralmente quando convidamos alguém para sair, seja cinema ou comer fora, por educação temos de pagar a parte do nosso convidado. Caso contrário, a pergunta deveria ser feita de forma diferente:

— O que vocês acham de pedirmos uma pizza e cada um paga a sua parte? – sendo bem clara a intenção de dividir os gastos.

Comentei que ela deveria mudar a forma de “convidar” para evitar futuros mal-entendidos, mas foi a mesma coisa que não dizer nada. Então, como ela gosta de ser a dona da verdade ligou para nossa outra irmã:

— Vem pra cá comer pizza!

Veio a família toda! E lógico que ninguém trouxe dinheiro, afinal de contas “ninguém tinha avisado nada”. Eles também consideraram como um convite. Se é um convite, então, não precisa pagar; deduzimos que estão querendo fazer um agrado para a gente.

Portanto, quando quisermos rachar a conta com alguém devemos deixar isso bem claro no convite:

— É um convite, mas só é válido se você topar rachar a conta.

Eduardo Franciskolwisk

Um comentário:

Leitores, se forem comentar como anônimo por facilidade, peço que deixem pelo menos seus primeiros nomes como assinatura.

Mas se fizerem questão do anonimato, não tem problema!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...