sábado, 31 de maio de 2014

Indecisão

indecisao

Meus óculos já estão meio velhos, por isso fui ao oftalmologista para ver se precisaria aumentar o grau deles. Sim, aumentou 0,25 de miopia. Como a armação dos meus óculos já é antiga e está machucando o meu nariz por ser um pouco pesada, designei a mim mesmo a missão de encontrar uma armação nova. Pois bem, a quantidade de modelos é ilimitada. Existem tantos modelos que eu não sei qual comprar, fica difícil escolher apenas um.

Neste caso, eu sei quais são os modelos que eu não quero, mas nunca sei qual eu quero. Se são 5 os modelos que eu gosto e preciso escolher apenas 1, meu Deus, que agonia! Simplesmente não sei qual por qual optar. De um eu gosto mais do preço – é mais barato; o outro é mais leve – não vai machucar tanto o nariz; o outro é mais leve que o leve – mas a armação não é tão forte. Tudo isso me faz ficar confuso e indeciso. Não consigo escolher apenas um e quando escolho, fico com a sensação de que não fiz a escolha certa e que algo vai dar errado. Então, para evitar esta sensação, eu escolho não escolher.

Outro caso é o shampoo ( ”Na cabeça shampoo, lave bem o seu... pé!” ). Fui ao supermercado comprar um frasco, mas eu queria mudar, comprar outro com um cheiro diferente, mesmo que fosse da mesma marca. Quando fiquei de frente com a gôndola... Tinham tantas opções, mas tantas opções que eu não me senti seguro em mudar. Um era para cabelo liso, outro para cacheados, outro tem um negócio de frizz, outro é perolado e eu gosto de shampoo transparente. Cheirei todos, mas não consegui escolher nenhum. Então, comprei o que sempre compro. Foda isso, viu? Mas foda mesmo é essa minha preocupação com shampoo, sendo que eu sou praticamente careca.

Já com as mulheres é um caso parecido. Há tanta opção no mercado que eu não sei qual levar para casa. E eu não sou desses que costumam usar amostra grátis. Usou, gostou, fica um tempo, depois troca. Ou usou, abusou, mas enjoou fácil, joga fora. Ou usou uma vez e não deu certo, vamos para a próxima! Escolho uma e me mato naquela. Vou morrendo aos pouquinhos...

Há tantas mulheres bonitas e legais que eu tenho medo de escolher uma e não poder usufruir de outras porque na minha cabeça é errado. Há também as feias e legais, as bonitas e chatas, etc e tal. Existe até as feias e chatas, mas vamos deixá-las para lá... Tem tantas opções por aí, que eu não sei como começar a conhecer nenhuma. Contraditório não? Tem várias mulheres para eu escolher e eu escolho não escolher nenhuma com medo de escolher errado.

O que eu quero dizer é que não importa quem eu escolha, um dia eu vou acordar e pensar “ eu deveria ter escolhido outra?”. Aí, fico com peso na consciência e não sou muito bom em dar fora. Solitários não sabem dar fora em ninguém de forma que não magoe, mas é possível terminar com alguém sem haver mágoa? Para evitar isso me esquivo de relacionamento. Eu sempre vou achar que fiz a escolha errada e que a grama do vizinho é mais verdinha que a minha. O que está nos meus sonhos, na minha imaginação nunca condiz com a realidade, sempre está aquém do que imagino. Ninguém nunca chega aos pés do que eu imagino. E quando eu abro uma exceção, sou eu que não chega aos pés do que a mulher imagina.

Além de eu demorar a escolher, há um detalhe básico: ela precisa me escolher também. Detalhes! E isso nunca aconteceu comigo. Nunca escolhi quem me escolheu. Isto é o que mais me desanima na vida.

Então, sou indeciso porque não sou lá muito bom em fazer escolhas. Escolher é fazer opção entre 2 ou mais coisas. Ou pessoas. Escolher é manifestar preferência por algo. Ou alguém. Escolher é separar o bom do ruim e ficar com o melhor para você. Quando não conseguimos fazer esta opção e ficamos sempre entre 2 caminhos, somos indecisos. Sou indeciso porque não consigo peneirar o bom do ruim por medo de me arrepender e não conseguir voltar atrás depois.

A minha indecisão demonstra a minha incrível habilidade de escolher tudo quando, na verdade, preciso escolher um só. E o meu sofrimento não é ter de escolher somente um, mas sim não poder ter todas as outras opções ao meu dispor. Eu me lamento tanto, que eu acabo ficando perdido.

Agora me respondam, leitores: já inventaram a cura para esta tal da minha indecisão?

Eduardo Franciskolwisk

2 comentários:

  1. Tb sou super indecisa!! No momento minha indecisão é: fezer Direito na ufpe ou Medicina na upe (passei nesses dois cursos). Tenho dificuldade de escolher um e abrir mão do outro. Gostei do seu texto :)))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela visita. Espero que vc seja muito feliz com a escolha que fizer. É difícil, mas vc vai conseguir!

      Excluir

Leitores, se forem comentar como anônimo por facilidade, peço que deixem pelo menos seus primeiros nomes como assinatura.

Mas se fizerem questão do anonimato, não tem problema!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...