domingo, 16 de novembro de 2014

Escritores de Barretos

escritor teclado caneta computador

Sempre tive a vontade de manter contato com outros escritores que também morassem em Barretos. Por algum motivo, nunca consegui conhecer muita gente e o contato com os poucos que conheci não duraram muito tempo, além disso, tudo aconteceu apenas no mundo virtual.

Minha intenção era formar um grupo que pudesse se reunir e conversar sobre o que estávamos escrevendo naquele momento ou discutir sobre tudo, inclusive sobre nossos bloqueios criativos. Achava que este grupo se reuniria às vezes para trocar ideias e até ler e julgar o que achávamos dos textos uns dos outros. Nada de coisas formais como uma Academia de Escritores de Barretos – AEB (fundada por mim neste exato momento), com obrigações e chatices que só servem para afagar o ego e nos mostramos fabulosos e inteligentíssimos diante da sociedade que fingiria nos ler.

Sim, fingiria. Escrever e ler são chatos. São atividades muito solitárias. A maioria das pessoas não consegue ficar sozinha porque deve ter medo de pensar. E pensar nada mais é do que conversar consigo mesmo.

Sempre busquei outros blogueiros de Barretos no Google, mas nunca achei gente que realmente me interessasse. É muito difícil encontrar blogs que escrevem seus próprios conteúdos ou que têm a pachorra de mantê-los por um longo período de tempo sem desistir. Atualmente, o Facebook é mais atrativo, interessante e movimentado, assim como era o Orkut tempos atrás. Não estão errados, afinal “disse o poeta: o artista vai onde o povo está”. Minha dúvida é se o Facebook sobreviverá por muito tempo. Quanto aos blogs, penso que são como os livros de papel: muito simples, mas estarão sempre lá ou pelo menos terão uma durabilidade bem maior do que qualquer rede social.

Enfim, o que eu quero com esta postagem é conhecer outros escritores da cidade de Barretos. E escritores são aqueles que escrevem qualquer coisa: contos, crônicas, romances, poesia, postagens, ideias, músicas, fábulas, roteiros, etc. Então, se você é um deles, entre em contato comigo! A Academia de Escritores de Barretos – AEB – já está criada e tem quantas cadeiras forem necessárias.

Eduardo Franciskolwisk

domingo, 9 de novembro de 2014

Desafio do Emagrecimento

barriga

Ontem, cometi um crime terrível. A vítima fui eu mesmo! Comprei uma pizza meia frango catupiry e meia quatro queijos. Dos 8 pedaços que vieram, comi 6 de uma vez só. Quando terminei o 2º pedaço já estava saciado, mas sentia que tinha que comer mais e mais até a pizza terminar. É a isso que chamam de gula.

Depois de ter devorado praticamente a pizza inteira, bateu um arrependimento gigantesco. Eu não devia ter feito aquilo. Da mesma forma, eu não devia ter comido 2 caixas de bombons em praticamente 1 semana. E também não precisava exagerar todas as noites na quantidade de besteiras que como. É sempre assim: como, como e como para logo depois me arrepender. Não satisfeito com isso, sempre prometo a mim mesmo que aquele dia foi o último e que a partir dali, seria mais controlado em minhas comilanças. Então, além do arrependimento diário, vem também a frustração de não cumprir o que prometi a mim mesmo.

Já faz alguns meses que coloquei na cabeça que quero emagrecer, no entanto estou engordando. Que merda, não?

Sei que cometo erros absurdos que não ajudam a perder peso: só como porcarias (bolacha, salgadinho, bolo pronto, nuggets, pão de queijo e tudo mais o que for saborosamente delicioso e estiver na minha frente) e não faço exercício físico regularmente (não tenho muito tempo livre e quando tenho a preguiça ganha de mim). Agora, estou pensando aqui com os meus botões que esta coisa de sair devorando tudo o que vejo pela frente, principalmente chocolate, começou de pouco tempo para cá. Estou muito ansioso, na verdade sempre fui, mas desta vez eu resolvi comer como se a comida fosse fugir da minha frente.

Tenho algumas memórias que podem estar me influenciando. Lembro que eu fazia minhas refeições e era minha irmã quem comia no meu lugar. Ela me passava para trás, como se eu fosse o cozinheiro dela. Que raiva que me dava! Lembro também de deixar a parte mais gostosa para o final ou para comer depois (quem nunca fez isso?) e ficar sem, pois sempre alguém ia lá e comia antes de mim. Mesmo com estas lembranças ainda acho que elas não são as principais culpadas, acho que o meu problema real hoje é, como já disse, a ansiedade. E olha que eu tomo ansiolíticos e antidepressivos para dar uma controlada nas minhas maluquices. Pode ser também que sinto que estou numa “guerra fria”, onde aparentemente não há ataques, mas no contexto implícito é pura tensão porque sei que estes ataques podem acontecer a qualquer momento! Talvez eu esteja numa tortura psicológica que pode estar vindo de fora ou de dentro de mim, não sei.

O fato é que se eu continuar comendo como estou, ou seja, igual a um condenado, engordarei ao ponto de não conseguir amarrar meus próprios tênis sem sentir aquela saliência avantajada na barriga tentando me impedir de realizar esta simples tarefa.

Então, para me encorajar a emagrecer, vou postar aqui no blog todos os domingos o valor do meu peso. É um desafio para mim mesmo. Os números da balança têm que cair! A publicação será feita na coluna à esquerda da página do blog. Hoje, 09 de novembro de 2014 o meu peso é 73,7 kg. Quero emagrecer para 68,0 kg. Que comece o desafio!

Eduardo Franciskolwisk

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...