segunda-feira, 24 de agosto de 2009

E viva a Festa do Peão!


No final de agosto, a cidade de Barretos muda completamente. É como se ela fosse branca e nessa época ficasse preta. Durante a Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos, a cidade do interior ganha movimento de uma cidade grande.

Junto com esse status de “cidade grande” vêm para cá todos os prós e contras de uma cidade com tal título. Já vi roubos, congestionamento de 3 km, pista de patinação no gelo e 3 limusines (preta, branca e prata) uma atrás da outra e etc. Até o McDonald´s aparece por aqui de vez em quando.

Os tempos mudaram. Foi-se a época em que a festa do peão era uma festa popular. Ela se tornou elitizada e cara. Antes, a entrada para o parque do peão era “de grátis”. Ninguém pagava nada para bater perna e visitar a feira. O ingresso para o show do dia ou das montarias era pago à parte, só pagava quem queria ver. Agora não funciona mais assim. Agora, para entrar no parque, tem que pagar o valor do show. Querendo ou não assistir, tem que pagar. E não é barato.

Eu não acho isso justo. Se você quiser ir com seus filhos pequenos passear no parquinho de diversões, às 3 da tarde, todos terão de pagar o preço de como se estivessem indo à noite no megashow. E depois, desembolsar mais dinheiro para andar nos brinquedos. E mais para comer e beber (para ir ao banheiro, acho que ainda não precisa).

A moral da história é: “Pobre, fique em casa!”. E nessas horas, eu digo: “Yes, sir!”.

O comércio de Barretos distribui ingressos de graça para 3 dias da festa: segunda, terça e quarta. Enquanto os ricos descansam do melhor da festa, os pobres podem ir lá dar uma passadinha rápida. Tática esperta essa. Assim, os dias com menos público passam a ter mais pessoas.

Mas o que me incomoda mais é que durante a Festa do Peão de Barretos, há uns 3 shows acontecendo simultaneamente. E o pior de tudo é que não conheço ninguém que possa estar em mais de um lugar ao mesmo tempo. Dá a impressão de que é uma incrível promoção “Pague 3 e leve 1”. Mas é incrível para quem?

Durante 10 dias de festa, Barretos tem muitas atrações. Tantas atrações que até sobra. Porém, depois que termina agosto, a cidade passa a não ter nada. É raro ter um evento bom por aqui. E por que não pegar alguns shows bons e distribuir ao longo do ano? Assim, evitaria ter vários cantores de renome cantando um atrás do outro.

Reconheço que a festa aqui foi o que colocou Barretos no mapa. Mesmo assim, Barretos está longe de ser uma cidade turística. Terminou a Festa, acabou! Não tem mais nada, só no ano que vem. Aqui não tem cinema, não tem teatro, não tem shopping. Só tem a festa do peão.

Viva a festa do peão!

Eduardo Franciskolwisk

P.S.: Em Barretos, as pessoas não andam a cavalo e nem usam chapéu diariamente, igual no velho oeste.

3 comentários:

  1. Oi, passei pra conhecer o blog, e desejar bom dia
    bjs

    aguardo sua visita :)

    ResponderExcluir
  2. Claro, já estou te seguindo e vou linkar, ai vc tb linka
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Realmente... nao tem cinema, nao tem teatro... só tem a festa... triste isso, ne?

    ResponderExcluir

Leitores, se forem comentar como anônimo por facilidade, peço que deixem pelo menos seus primeiros nomes como assinatura.

Mas se fizerem questão do anonimato, não tem problema!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...