domingo, 28 de abril de 2013

Revelações de uma mente bloqueada

Eu estou bloqueado! Nossa, eu simplesmente não consigo mais escrever. Por vários dias, sentei-me na frente do computador e falei pra mim mesmo “Hoje, eu vou escrever aquele texto que está na minha cabeça há séculos”. Mas, em todos esses dias, desliguei o computador sem ter escrito nada que fizesse sentido para as outras pessoas. O máximo que eu conseguia eram frases curtas as quais continham idéias para outros novos textos. Só que o texto que eu tinha a intenção de escrever, não saiu.

Acho que estou tendo dificuldade de costurar um parágrafo no outro. Sei lá! Esse é um daqueles problemas que não importa se você conhece ou não o que o causa, porque isso não vai te ajudar a resolvê-lo. Esse é um daqueles problemas que se resolvem por si só, quando a gente menos espera “Pum”, eles já sumiram. Então, daqui um tempo, tudo voltará ao normal: eu vou sentar a bunda na cadeira com uma idéia na cabeça e vou levantar com um texto no papel.

Porém, enquanto isso não acontece, vou contar um segredo. Escrever não é muito legal. No meu caso: demora muito, tenho de ficar olhando palavras no dicionário, preciso tirar dúvidas em livros e perguntar algumas coisas para o povo daqui de casa, enfim, escrever dá trabalho. E o pior é que a maioria das pessoas não lê. Ler é chato. Escrever é chato.

É chato, mas eu gosto!

Eu não sou uma daquelas pessoas que não vive sem escrever. Aliás, às vezes, eu passo meses sem colocar o que penso no papel. Isso acontece porque não acredito na qualidade dos textos de pessoas que escrevem todos os dias e todas as horas. Para mim, escrever é muito mais do que isso. Não importa se o texto tem a intenção de agradar, irritar, acalmar ou enriquecer seu cérebro, mas é necessário que mexa com o leitor.

Houve uma época em que eu queria ser um grande escritor, mas me sentia pequeno demais diante dos outros. Esse negócio de saber de pessoas que escrevem até os olhos envesgarem na frente do computador me incomodava. Hoje, não incomoda mais porque eu achava que eles tinham idéias fabulosas aos montes e por isso não paravam de escrever. A internet tornou possível que eu conhecesse os textos de algumas dessas pessoas e pude ter a certeza de que eles estão errados. Certo estou eu, que só escrevo quando as idéias ficam martelando a minha cabeça dizendo “Vai lá e escreve isso. Vai lá e escreve aquilo.”. Sabe quando tem uma formiga dentro da sua calça e você só sossega quando consegue tirá-la de lá? Esse é o momento em que escrevo.

E por isso, por escrever só de vez em quando e só quando estou com muita vontade, inventei essa frase: “Escrever é quase como ir ao banheiro, não faço toda hora, mas se der vontade e eu não fizer, tenho a sensação de que vou explodir.”

Eu já disse que escrever é chato e ainda digo mais: não dá dinheiro! Muitos escritores famosos já teriam morrido de fome se não tivessem outra profissão. Mesmo assim é uma coisa fabulosa.

Ao escrever textos verídicos, falo o que quero e sem ter um chato para ir contra a minha opinião ou me fazer calar. É possível calar a minha voz, mas nunca os meus textos. Eu não tenho medo de dizer a verdade. De escrevê-la, muitíssimo menos!

Já em textos fictícios, é possível brincar de Deus. Sou eu quem mando e desmando nas personagens: dou a vida e posso tirá-la a qualquer momento, decido suas personalidades e seus destinos. Enfim, escrever é fantástico. Só é necessário lápis e papel e pode-se ter o mundo inteiro nas suas mãos.

Algumas pessoas sabem que ao se escrever um texto não se deve repetir muito uma única palavra. Eu posso não saber disso, mas eu sei que escrever é muito mais do que escrever um monte de escrever num texto sobre escrever.

Alguém aí tem um desbloqueador pra me emprestar?

Eduardo Franciskolwisk

6 comentários:

  1. Detesto esses bloqueios criativos !!!

    ResponderExcluir
  2. Espero que isso te ajude:

    "se isso não queima dentro de você
    apesar de tudo
    não escreva.
    a não ser que venha sem aviso do seu
    coração e sua mente e sua boca e suas vísceras,
    não escreva."

    (Charles Bukowski)

    ResponderExcluir
  3. Francisco, tudo bem? Acompanhei alguns de seus textos e gostei muito da maneira que escreve. Você possui alguma rede social?

    ResponderExcluir
  4. Olá Felipe. Obrigado pela visita.
    g+: https://plus.google.com/u/0/105378851229124851177/posts
    Face: https://www.facebook.com/pages/Eduardo-Franciskolwisk/732496123510412?ref=aymt_homepage_panel

    ResponderExcluir
  5. Tenho 30 anos e minha vida é um lixo tenho 2 faculdades que só me fizeram perder tempo, nao tenho talento para nada trabalho 16h por dia e mal ganho para sobreviver, meu casamento está destruído, esrou a tanto tempo deprimido que nem me lembro como eu era antes disso, esrou a 6 meses sem ter sexo, não tenho a mínima vontade, nem para me matar sirvo pq tenho medo, espero que eu morra logo param doarem meus órgaos. Até mais

    ResponderExcluir

Leitores, se forem comentar como anônimo por facilidade, peço que deixem pelo menos seus primeiros nomes como assinatura.

Mas se fizerem questão do anonimato, não tem problema!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...